Public transportation became easier: let me present you the startup Moovit

Hello everyone!

Hope you are great. Today I would like to share with you an app that is really making my life better recently. Its name is Moovit and I have just read that it received $80mi in venture capital. Great job, guys ;-)

Now living in Tel Aviv and having to move daily to my Master (the correct name is LL.M., but I'll say Master to facilitate...) at Tel Aviv University by bus, Moovit is a daily relief. In the morning I just type the destination in the app and it tells me exactly the the time that the bus will pass by. I can have my breakfast calmly and just 3 minutes before the bus arrives... I leave home and go to the bus stop!

While at the bus you can just let the app on and select "on the route" and it will tell you the time you have to get out. It's really relaxing and it makes going by bus much more fun. Here is a printscreen of this tool:



I was born in São Paulo, in Brazil, and there I always preferred to use the subway (or the car). The public bus system there is not as predictable as it is in Tel Aviv (there aren't electronic panels on the bus stops showing when it's the next, neither they have air conditioning inside...!), so with the subway I could plan better my calendar (but, I have to say, depending on the station you go "things can happen" and you may also arrive late). As I am really freak with planning, organizing and being punctual, Moovit is the perfect tool for me. 

For those who want to know, Moovit was founded in 2012 by the israeli entrepreneur Nir Erez. Below is a picture of the team (Congrats, guys!!):


If you want to know when the next videos are released, sign up on my YouTube channel. If you want to receive the next posts of this blog by email, sign up here.

In this blog's right column you will find the most popular posts, as well as the archive of all published posts. If you miss any subject, write to me!

See you soon!

Luiza S. Rezende
Corporate lawyer specialized in startups

Dica simples para acompanhar a concorrência e estar atualizado

Segue abaixo uma metodologia super simples que você pode implementar agora mesmo com o objetivo de acompanhar pela internet os concorrentes e outros players de seu mercado, além de estar atualizado sobre o que vem sendo falado sobre sua área de atuação. Vamos lá:

1- Marque como favoritos diversos sites ligados à sua área de atuação que você confia e considera o conteúdo como sendo de qualidade. Estou considerando aqui sites que trazem informações "macro" que podem ajudar a equipe a tomar decisões dentro da empresa - podem ser sites de notícias, sites de artigos, blogs, análises micro/macroeconômicas e outros sites que você considerar provedores de informação de confiança. Crie uma pasta de favoritos (na sua barra de favoritos do browser - bookmarks bar) com esses sites. O ideal é que sejam diversos sites, sugiro de 3-7, para que você tenha tempo de olhá-los diariamente ou semanalmente.

2- Pesquise no Google (ou em outro buscador de sua preferência) quais são os principais concorrentes ou pessoas/empresas que desenvolvem um trabalho semelhante ou que possam ser referências para você no Brasil e no mundo. Abra a homepage de cada um deles e analise-as. Abra também as páginas de social media (Facebook, Google+, Twitter, Linkedin, Instagram, Pinterest, Youtube etc) e veja o tipo de post e o conteúdo que está sendo feito em cada uma delas. Faça isso bem feito uma vez e coloque na sua lista de favoritos os sites mais interessantes que acha válido acompanhar. 

3- Inscreva-se em newsletters relacionadas à sua área de atuação que considerar interessantes, podem ser sites, blogs, portais etc, e passe a acompanhar o que é publicado quando chegar no seu email.

4- Crie Google Alerts para algumas palavras que você considera importantes para sua empresa. Algumas sugestões: o nome da sua empresa, o nome do serviço que você presta (por exemplo: "venda de livros online") para que você acompanhe o tipo de novidade que está sendo publicada sobre o tema. Seja bastante criterioso com esses alertas.

5- Acompanhe as newsletters assim que chegarem, os perfis de social media e a homepage dos concorrentes diariamente e sempre que possível os sites com análise de mercado/informações relevantes.

Lembre-se que sua startup ou empresa não está em uma bolha, ela está no mundo: acompanhe o que está acontecendo em volta dela e relacionado a ela. Esteja atualizado!

***

Se você quer ficar sabendo quando os próximos vídeos forem lançados, inscreva-se no meu canal do YouTube. Se você quer receber os próximos posts deste blog por email, clique aqui.

Na coluna da direta deste blog você encontrará os posts mais populares, assim como o arquivo com todos os posts publicados. Se você sentiu falta de algum tema, escreva-me

Até a próxima!

Luiza S. Rezende
Advogada empresarial especializada em startups

concorrência, notícias, acompanhar a concorrência, estar atualizado,
Foto: stockyimages/CrayonStock

5 Dicas Jurídicas Básicas para Empreendedores e Empresários que Estão Começando seu Negócio

Ao contrário do que muitos pensam, é imprescindível que empreendedores que querem abrir uma empresa consultem seu advogado de confiança e busquem o apoio jurídico adequado mesmo antes de iniciar seu empreendimento. Por isso o tema de hoje são 5 dicas jurídicas básicas para que você esteja mais informado(a) sobre o processo envolvido.

A intenção deste artigo é educar e conscientizar empreendedores, empresários e profissionais de outras áreas sobre alguns cuidados jurídicos importantes que devem ser levados em consideração ao se abrir uma empresa. Muitas vezes, principalmente em negócios com base online, os empreendedores têm a impressão de que não serão necessárias providências jurídicas, ou que isso somente é válido para empresas "tradicionais" ou, ainda, que tudo poderá ser resolvido com algumas buscas na internet, sem a orientação e/ou intervenção de um profissional; o que não é verdade. A ideia desse post é trazer alguns tópicos sobre o assunto. Vamos a eles: 

É muito importante que os empreendedores, logo no momento da elaboração do Business Plan, já consultem um advogado especializado para checar a documentação e as medidas jurídicas protetivas e preventivas necessárias para o início e bom funcionamento da empresa. O advogado, ao analisar as características da empresa e da área de atuação, é quem poderá indicar quais as providências a serem tomadas (e em que momento).

É importante que os empreendedores estejam cientes que, além de áreas como finanças, programação, TI, marketing, comunicação, gestão etc, a área jurídica estará constantemente presente no dia-a-dia da startup/empresa, e a devida atenção a ela será imprescindível para o sucesso a curto, médio e longo prazo do empreendimento.

1- Abertura da Empresa, Acordo de Quotistas e Vesting:

No momento de abertura da empresa, será necessário fazer algumas consultas prévias, elaborar o documento constitutivo da empresa (contrato social por exemplo), cadastrar a pessoa jurídica, fazer inscrição estadual e municipal, entre outros registros específicos, dependendo da área de atuação. Consulte seu advogado para saber quais são os documentos necessários para a abertura da sua empresa e quais documentos adicionais seriam recomendados. Para se informar melhor sobre os documentos de registro, neste link do Sebrae você encontra alguns esclarecimentos prévios, que podem ser conversados com seu advogado. Além disso, dependendo da estrutura da empresa pode ser importante elaborar documentos como um Acordo de Quotistas, para que sejam evitados conflitos futuros. Ou, ainda, caso esteja no projeto da empresa, pode ser desejável a constituição de um Vesting. Consulte seu advogado para saber a melhor forma de conduzir a abertura da empresa e os documentos adicionais.

2- Registro da Marca:

Ele deve ser feito no INPI e o empreendedor deve discutir com seu advogado a natureza do uso da marca e a sua forma de apresentação. Neste manual do INPI você pode se informar melhor sobre o tema e já entender um pouco mais que pontos são relevantes para que sua marca seja corretamente registrada. Em casos de businesses online (sites e apps), o registro do software, dependendo do caso, pode ser algo a se pensar. Consulte seu advogado sobre o assunto.

3- Acordo de Confidencialidade:

Um item que deve estar presente logo no início das discussões sobre a startup (assim que a ideia/conceito do negócio for decidido e passar a ser comunicado a terceiros, possíveis investidores e parceiros), é o documento chamado “acordo de confidencialidade”, também conhecido no Brasil por seu nome em inglês: NDA (Non Disclosure Agreement). Por meio deste documento a pessoa que receberá a informação se comprometerá a não divulgá-la a terceiros, entre outras cláusulas, que dependerão do contexto em questão, e que serão definidas pelo advogado. Leia este post do blog sobre o assunto: Acordo de Confidencialidade (NDA - Non Disclosure Agreement): como, quando e para que utilizá-lo.

4- Contratos:

O quarto ponto, que muitas vezes os empreendedores deixam “passar batido” (e muitas vezes acabam sendo lesados por isso) é aquele da elaboração dos contratos com fornecedores, parceiros, colaboradores, funcionários e clientes. Ao negociar com terceiros, contratar pessoas e fechar negócios com clientes, é importante que a relação esteja propriamente regulada, as partes estejam cientes daquilo a que estão se comprometendo, a legislação cabível seja cumprida e possíveis riscos e prejuízos futuros sejam, ao máximo possível, alocados. Muitas vezes o empreendedor não dá a devida importância para a elaboração e análise de contratos e acaba tendo que pleitear em juízo (em um processo por indenização, por exemplo) valores e bens; quando esse desgaste muitas vezes poderia ter sido evitado com uma análise/elaboração contratual feita por um advogado especializado. Igualmente, a relação com os clientes deve ser formalizada para que todas as obrigações e responsabilidades estejam claras para as partes e não aconteçam desentendimentos futuros por falta de "formalização" da relação comercial. Não deixe de consultar seu advogado sobre os contratos e documentos em geral mais adequados para a devida proteção/prevenção da sua startup. Para ler mais sobre o tema, confira este post do blog sobre contratos.

5- Termos de Uso e Política de Privacidade:

Hoje em dia, em que a grande maioria das empresas possui sites e/ou aplicativos, a elaboração de Termos de Uso e Política de Privacidade para esses ambientes online passa ser também um tema importante. Veja confira no post "A importância dos Termos de Uso e da Política de Privacidade de seu site ou aplicativo" para saber mais sobre o assunto. Dentro desse tema, outro tópico importante é a distinção entre Termo de Uso e Contrato Eletrônico com cliente final.

Outros:

Existem ainda outros pontos de atenção importantes, como uma análise global de Direito do Consumidor, orientações de Direito Autoral, entre muitos outros temas, que vão variar bastante dependendo da área de atuação e das peculiaridades da empresa, e que por isso devem ser discutidos caso a caso com o advogado. Neste blog você poderá encontrar mais textos sobre o tema, veja na coluna da direita a lista de assuntos e posts.

Espero que essas orientações sejam úteis a vocês e os conscientizem de que o aspecto jurídico é relevante e estará presente durante toda a vida da empresa.


Não deixem de consultar um advogado para saber a melhor forma de organizar a documentação e manter sua startup regular e protegida de riscos futuros e outros decorrentes da atividade empresarial. 

***

Se você quer ficar sabendo quando os próximos vídeos forem lançados, inscreva-se no meu canal do YouTube. Se você quer receber os próximos posts deste blog por email, clique aqui.

Na coluna da direta deste blog você encontrará os posts mais populares, assim como o arquivo com todos os posts publicados. Se você sentiu falta de algum tema, escreva-me

Até a próxima!

Luiza S. Rezende
Advogada empresarial especializada em startups

dicas jurídicas, jurídico, jurídica, advogado, startup, empresa, empresário, empreendedor, empreendedorismo, empreender,
Foto: Syda Productions / CrayonStock

13 Estratégias Cruciais de Marketing para Pequenos Empreendedores que Buscam Sucesso

Olá, pessoal, bom dia! Hoje temos o guest post escrito pela Flávia Sales, confiram:

13 Estratégias Cruciais de Marketing para Pequenos Empreendedores que Buscam Sucesso

Para o empreendedor obter sucesso é preciso conhecimento, dedicação e inovação para manter o negócio aberto e lucrativo. Infelizmente, muitos não sabem como de fato fazer isso e ainda, sem ter de investir altos valores em marketing. O marketing chega até ser visto como algo para aplicar apenas quando a empresa está indo bem e deseja expandir, como um departamento a ser inserido na empresa em um momento já maduro. Este é o principal erro dos empresários brasileiros. Afinal, ele é muito importante para ficar em apenas um departamento.

O marketing se torna estratégico quando de fato cria vantagem competitiva para a empresa. Não fica apenas na comunicação visual, fazendo sites e postando nas redes sociais. O propósito do marketing estratégico é entregar proposta de valor para os clientes, sócios, funcionários, sociedade e demais stakeholders. Só por meio desta entrega de valor ela poderá se posicionar adequadamente e se consolidar no mercado em que atua. Mudar este pensamento de que o marketing é apenas fazer propaganda e ainda custa caro, é o primeiro passo para o empreendedor expandir sua visão sobre seu negócio, por menor que ele seja.

A maioria dos materiais disponíveis sobre marketing apresentam alternativas não muito realísticas para o cenário das empresas brasileiras, que ao contrário dos casos de sucesso exemplificados nestes materiais, não dispõem de grandes quantias para investimentos. É claro que existem materiais específicos para pequenas empresas, o SEBRAE é referência no assunto, mas poucos são os exemplos práticos para ações de marketing. O conteúdo volta-se para a explicação e não as aplicações de como fazer acontecer estas ações em si. Além disso, já virou recomendação padrão que pequenas empresas usem a internet para se promover, devido aos baixos custos de investimento e rápido retorno. No entanto, é certo dizer também na internet a proporção de investimentos de grandes empresas chegam ser desleais em relação às pequenas, que sofrem também com falta de conhecimento técnico sobre SEO , links patrocinados, social media e outros termos do marketing digital.

Por isso, vão aqui algumas dicas estratégicas:

1.   O que você vende?

Antes de abrir seu negócio ou caso esteja com as vendas "empacadas", (re)faça seu plano de negócios usando o Canvas, ferramenta de inovação de negócios. Seu objetivo é identificar seu público-alvo, sua proposta de valor para este público, como fará para entregá-la e quanto/como receberá por ela. Recomendo a leitura deste post  sobre o assunto.

2.   Quem você é?

Posicionar sua marca (empresa ou produto) é crucial para criar seu material de comunicação. A maioria das pessoas primeiro criam um nome e logomarca, site e folders e depois percebem que a comunicação não reflete o que fazem. Então antes de criar sua estratégia de comunicação, incluindo sua identidade visual, defina seu posicionamento. Depois disso, sugiro que leia este post  para te ajudar com os materiais.

3.   Mostre a cara!

Divulgue sua empresa, pois quem não é visto não é lembrado. Mas tente pensar fora da caixa, isto é, quem quer ser líder não adianta ter apenas o site, perfil em rede social, e-mail marketing e um telefone. Existem inúmeras formas de atrair e reter seus clientes, use tudo o que tiver ao seu alcance. Certa vez mandei telegramas a uma lista de convidados e a aceitação foi surpreendentemente enorme. Os convidados ficaram curiosos em receber um telegrama e isso ajudou a evitar que descartassem a mensagem sem ler, como ocorre com e-mails.

4.   Não deixe seus funcionários de lado

Ninguém vende o que não acredita. Os funcionários podem ser o melhor aliado ou pior inimigo do seu negócio. Infelizmente, muitas empresas não enxergam isso. Mas as que enxergam e implementam ações de endomarketing obtém ótimos resultados em aumento de vendas, valorização da marca, relacionamento com o cliente e redução de custos. Leia este post.

5.   Expanda seu negócio e não sua empresa

Enxergue seu negócio como um ser em evolução. Procure formas de vender mais para seus clientes atuais antes de atender novos mercados. Estudos comprovam que os custos de uma nova venda para clientes da base são muito menores do que adquirir novos clientes.

E agora algumas dicas práticas:

6. No início de seu negócio, use seus contatos para vender e obter indicações. O marketing boca a boca ainda é uma das estratégias mais bem sucedidas. Incentive sua rede de relacionamentos a te recomendar ou mesmo prestar depoimentos dando algum benefício, seja um desconto ou um brinde.

7. Use e abuse do poder da permuta. Sim, muitos profissionais estão dispostos a trocar serviços ao invés de tirarem dinheiro do bolso. Levante os serviços que precisa e faça contato com quem pode te atender e ofereça a permuta. 

8. Faça parcerias. Empresas pequenas são mais fortes juntas do que separadas. Aliar-se a uma empresa séria é uma ótima forma de aumentar leads e clientes, conseguir valores mais competitivos junto a fornecedores, agregar mais valor ao serviço, além de parecer maior do que realmente é. 

9. Faça barulho com cada novo cliente. Coloque uma cláusula em todos os seus contratos de que o cliente autoriza divulgá-lo como cliente. Inclua também vídeos de depoimentos se puder. 

10. Use o Inmail do Linkedin e/ou Inbox do Facebook (depende do seu negócio) para apresentar seu negócio e fazer contatos com quem não tinha antes. Está é uma ação barata de Geração de Oportunidades (Lead Generation).

11. Consiga o máximo de cupons de desconto que puder. Ao se cadastrar em serviços como o Google Adworks, LinkedIn, Facebook e outros de publicidade, após um tempo de inatividade na conta, você receberá com certeza um email oferecendo código promocional para voltar a ativar sua conta. Faça o cadastro e espere umas duas semanas e você verá o e-mail com o presente, com certeza! 

12. Ao invés de contratar agências de marketing, saiba que você pode contratar consultores ou mesmo profissionais freelancers, assim o poder de barganha é seu. Se cadastre no Prolancer e diga o quanto quer/pode pagar para tal trabalho e aqueles que estiverem dispostos em fazer o trabalho pelo valor que você quer pagar entrarão em contato. É uma forma de manter o orçamento controlado e obter marketing profissional. Lembre-se de que muitos profissionais fazem "bicos" por fora para complementar a renda. 

13. Faça uso de ações de inbound marketing (marketing de conteúdopara se posicionar como referência no seu mercado, melhor sua posição nos buscadores, aumentar sua lista de e-mails e gerar mais leads. É um excelente custo X benefício para pequenas empresas. 

Aproveite e se cadastre em minha lista VIP para receber todas as atualizações do blog com outras dicas práticas de marketing: www.flaviasales.com/inscrever 

Sobre a autora: Flávia Sales é consultora em estratégias de marketing, comunicação e vendas em mercados B2B e B2C. www.flaviasales.com | mkt@flaviasales.com 

***

Obrigada à Flávia pela participação no post de hoje! Para você que acompanha o Startup Blog Brazil, seguem alguns informes:

Se você quer ficar sabendo quando os próximos vídeos forem lançados, inscreva-se no meu canal do YouTube. Se você quer receber os próximos posts deste blog por email, clique aqui.

Na coluna da direta deste blog você encontrará os posts mais populares, assim como o arquivo com todos os posts publicados. Se você sentiu falta de algum tema, escreva-me.

 Até a próxima!

Luiza S. Rezende
Advogada empresarial especializada em startups

marketing, estratégia de marketing, empreendedor, empreendedores, empreender, startup,
Foto: Kzenon / CrayonStock